URUGUAIANA JN PREVISÃO
Fiasco

Luzes e sombras

Ricardo Peró Job

Fiasco monumental

O fracasso do carnaval de Uruguaiana em 2020 pôs em risco o esforço e o trabalho das escolas de samba que, ao longo dos anos, o transformaram na melhor e mais famosa festa do gênero em nosso Estado. Frustrar também os milhares de uruguaianenses amantes do carnaval que todos os anos comparecem à passarela do samba para assistirem suas escolas do coração. Mas o mais grave efeito da incompetência da empresa que, aliada ao governo municipal "produziu" o fiasco monumental, foi a desmoralização do evento diante dos milhares de turistas que acorrem à cidade todos os anos para assistirem aos desfiles. Provavelmente, não voltarão à nossa cidade. 

Fiasco monumental II

Já causava estranhamento a volta da Bah à produção da festa, empresa que já havia descumprido pagamentos e aprontado das suas na cidade. Também causou apreensão a demora da chegada do material e início da montagem das arquibancadas e camarotes (que, diga-se de passagem, é terceirizada), que só saiu após a intervenção da Prefeitura, que adiantou verba de uma empresa patrocinadora destinada às escolas de samba para que a Bah pagasse o fornecedor do material. 

No domingo, o Ministério Público Estadual promoveu medida cautelar solicitando o arresto das estruturas do Carnaval, com a finalidade de garantir eventuais indenizações ao público e empresas prejudicadas pela gestão do evento. O problema é que tais estruturas são terceirizadas, não pertencem a Bah Entretenimento.

Risco

Mesmo sem a licença dos bombeiros, que detectaram falhas nas estruturas das arquibancadas (disseram colegas que a da imprensa sacudia perigosamente), graças ao ano eleitoral, os desfiles saíram assim mesmo O Executivo Municipal, mesmo sabedor desde a primeira noite de que a empresa Bah não cumprira os requisitos de segurança exigidos, persistiu na ilegalidade na segunda e, só não realizou o terceiro desfile devido a intervenção do Ministério Público, que declarou seu impedimento.  

Risco II

Mas o mais tragicômico se deu na segunda-feira pós carnaval/fiasco, quando, preocupado com a saúde da população, o prefeito decretou situação de emergência na área epidemiológica em saúde no âmbito do Município de Uruguaiana. 

No fundo, não!

Deputados e senadores deveriam destinar os R$2,03 bilhões do fundão eleitoral e R$1 bilhão para o fundo partidário para o combate ao coronavírus, mas não vão. O senador Major Olímpio, do PSL apresentou emenda neste sentido, mas seus coleguinhas se fazem de desentendidos.  

Absurdo

Líderes religiosos, apesar das orientações contrárias e das recomendações da ministra Damares, continuam realizando cultos. Esta semana, o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Silas Malafaia realizou cultos durante toda a semana no Rio de Janeiro. 

Quarentena total

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, decretou quarentena total no país a partir da meia-noite de quinta-feira. As medidas deverão se estender até pelo menos até o último dia de março. Só será permitido o trânsito de pessoas até consultórios médicos e hospitais ou que comprovem ter saído para comprar alimentos, remédios ou buscar dinheiro em caixas automáticos.


Agora vai!

Senador demagogo, Roberto Rocha, do PSDB, sugeriu que, macaqueando a Espanha e a Itália, os brasileiros batam palmas em suas janelas em homenagem aos profissionais de saúde que estão se dedicando ao enfrentamento da Covid-19. Obviamente os profissionais merecem homenagens, mas nestes tempos graves que enfrentamos, nobre senador deveria deixar a pieguice restrita à Rede Globo de televisão, especialista no assunto.

Sobre nós:

Credibilidade na informação regional e a força de um dos precursores da informação em Uruguaiana. Você também está convidado para fazer parte dessa história.

Telefone: (55) 3402-2782
Endereço: R. Duque de Caxias, 2247 - Centro, Uruguaiana - RS, 97500-181