URUGUAIANA JN PREVISÃO
Marisele Velasques

Confiança

A palavra confiança significa crença na probidade moral, na sinceridade, lealdade, competência, discrição de outrem; crédito, fé. Crença de que algo não falhará, de que é bem-feito ou forte o suficiente para cumprir sua função. Seu significado é complexo e abrange tudo o que um filho precisa ter em sua família, de preferência com seus pais. Infelizmente sabemos que nem todas as relações entre pais e filhos acontecem dessa forma, mas é bem interessante que em uma pessoa ao menos sua criança ou adolescente, encontre toda essa confiança, de preferência em você que está lendo esse texto.
Quando assistimos os noticiários, lemos esse jornal ou pesquisamos na internet, encontramos diversas notícias de situações que muitas vezes poderiam ser evitadas se os pais ou responsáveis ao menos soubessem o que estava acontecendo bem perto, mas que sem diálogo não foi compreendido. É importante saber que essa aproximação pode acontecer em qualquer idade, e quem deve dar o primeiro passo é o adulto interessado. Provavelmente, muitas vezes o seu filho já tentou conversar com você, mas algumas reações ou atitudes pode ter tido um efeito contrário: a quebra da confiança, o medo de falar e na grande maioria das vezes a insegurança. Por isso, é importante que ainda na infância a criança aprenda e tenha liberdade para se comunicar em casa contando como foi seu dia e recebendo atenção em seus momentos de falas.
Os que não encontram em casa alguém para confiar, irão procurar em outras pessoas um espaço para desabafar, pedir orientações e até seguir exemplos, e quando isso acontece, vale a pena refletir se no seu papel como pai e mãe existe a valorização desse vínculo. Geralmente a criança vive isso naturalmente, até que por uma reação que a assuste ou a deixe insegura, tudo muda, já não falam mais nada em casa e na adolescência preferem o caminho da rua ao aconchego do lar. Por isso, nunca é tarde para aprender como resgatar ou iniciar esse processo.
Um dos primeiros passos é saber ouvir, não rir e respeitar o que seu filho está tentando dizer, mesmo que pareça bobagem, mas é o que no momento tem importância para ele.  Guarde seus pequenos e significativos segredos, não quebre a confiança. Evite constrangimentos, crianças dependendo da idade, já sentem vergonha. Reserve momentos de diálogos, muitas vezes separados de outras pessoas da casa. Observe ações e reações, os pequenos não sabem falar direito o que vivenciam ou sentem, mas reagem. Já os adolescentes vivem com intensidade de emoções todas as suas experiências. Ensine desde pequeno algumas responsabilidades, como juntar os brinquedos, arrumar o quarto, cuidar da alimentação dos animais de estimação. Tenha paciência, coloque-se no lugar do outro, você já teve essa idade. E por favor, não brigue ou repreenda, ouça, respire e passe segurança ao orientar. Estamos vendo jovens tendo como referências outros jovens que estão tão perdidos quanto eles, enquanto era para ser nos pais que seus olhos deveriam estar direcionados. O exemplo precisa vir de casa, e se já houve muitos erros, nunca é tarde para se tornar alguém melhor e ajudar quem mais amamos.

Sobre nós:

Credibilidade na informação regional e a força de um dos precursores da informação em Uruguaiana. Você também está convidado para fazer parte dessa história.

Telefone: (55) 3402-2782
Endereço: R. Duque de Caxias, 2247 - Centro, Uruguaiana - RS, 97500-181